Tipocriaturas de Oded Ezer

No próximo sábado (19/11) começa a exposição Tipocriaturas que mescla arte e design em mais de 50 obras do designer gráfico israelense Oded Ezer na Caixa Cultural Sé.

Exposição
Oded Ezer: Tipocriaturas

Curadoria: Ruth Klotzel
Idealização: Estudio Infinito
Produção: Mandacaru Design
Realização: CAIXA e Governo Federal

Abertura para convidados e imprensa
dia 19 de novembro de 2011 (sábado), às 11h
Visita guiada com a curadora
11 de fevereiro de 2012, às 16h
Visitação
de 19 de novembro de 2011 a 26 de fevereiro de 2012
Horário de visitação
de terça-feira a domingo, das 9h às 21h.
Local
CAIXA Cultural São Paulo (Sé) – Praça da Sé, 111 – Centro – São Paulo/SP
Informações, agendamento de visitas mediadas e translado (ônibus) para escolas públicas: (11) 3321-4400
Acesso para pessoas com necessidades especiais

Entrada franca.

Mostra de Cinema no CCBB

Alexander Kluge é o cineasta alemão homenageado neste mês no CCBB. A mostra O Quinto Ato vai até o dia 07 de Outubro. Além da filmografia, tem lançamento de livro e debate com exibição de documentário sobre o cineasta.

Então, aos interessados em cinema e discussões calorosas sobre o assunto, convido a estarem presentes no CCBB, sábado, dia 29 de Setembro, às 18h. Arlindo Machado estará presente!

Clique aqui para saber mais sobre o evento.

SEMANA DO DESIGN NA FIT


No mês de Outubro acontece a Semana do Design na Faculdade Impacta de Tecnologia (Unidade Santa Cruz), sob a coordenação e orientação de Ayao Okamoto e os professores do Curso de Design de Mídia Digital. Trata-se de um evento semestral para divulgação dos trabalhos idealizados e produzidos pelos alunos.

O Projeto + Zero, criado por Fabrizio Augusto Poltronieri, Jonattas Marcel Poltronieri, Raphael Dall’anese e Régis Frias, abre o evento com uma apresentação de live images, interferindo no espaço da faculdade. Oficinas de fotografia e tipografia, palestras e debates, exposições dos projetos gráficos, exibição de documentários estão inclusos na programação.

A entrada é franca. Faça sua inscrição com antecedência! As vagas são limitadas e abertas a todos os interessados, além dos estudantes. O intuito é mostrar a interdisciplinaridade do design.

Semana do Design FIT | De 08 à 11 de Outubro de 2007, das 19h às 22h.
Faculdade Impacta de Tecnologia (Unidade Santa Cruz)
R. Arabé, 71 . Vl. Clementino, São Paulo – SP. Cep: 04042-070. Fone: 11 5589-2666

Design Essencial 2007 – Estratégias para um mundo melhor

O Senac São Paulo promove de 24 a 28 de setembro, na capital paulista, a segunda edição do evento Design Essencial. A programação do evento conta com palestras de convidados nacionais e internacionais. Eles falarão sobre temas como interação e experimentação em design, habitar contemporâneo, fronteiras entre as artes gráficas e o design e propriedade intelectual.

Em seguida, de 1º de outubro a 9 de novembro, o Design Essencial segue para nove unidades do Senac no interior do São Paulo: Bauru, Campinas, Limeira, Marília, Piracicaba, Ribeirão Preto, Santos, São José dos Campos e São José do Rio Preto.

Para participar o evento, é preciso pagar uma taxa de inscrição para cada dia de atividades. As inscrições estarão abertas até o dia o do evento, se houver vagas.

A mostra-instalação Amor Líquido, desenvolvida pelo Satorilab – laboratório argentino de desenho experimental que utiliza materiais de descarte – abrirá o evento no dia 24 de setembro, seguida de palestra comandada pelos idealizadores da metodologia, Alejandro Sarmiento e Lujan Cambarieri. A exposição, que contará com peças criadas durante um workshop liderado por eles, no Centro Universitário Senac, de 17 a 21 de setembro, ficará aberta para visitação até 14 de outubro, no Museu da Casa Brasileira.

Clique aqui para saber mais sobre o evento. 

Palestras sobre Tipografia

Na próxima terça-feira, 04 de Setembro, será realizada uma mesa-redonda sobre o trabalho do alemão Jan Tschichold e o movimento Nova Tipografia, surgido no começo do século XX. O evento, que começará às 20h no auditório das Faculdades Integradas Rio Branco, terá palestras dos designers Alexandre Wollner e Rodolfo Capeto.

O auditório fica na Rua Capitão José Inácio do Rosário, 133 (Lapa), em São Paulo. Clique aqui para ver o mapa. Mais informações pelos telefones (11) 3991-0262 ou 3879-3100.

Concurso de Identidade Visual

O Centro Cultural da Espanha em São Paulo (CCESP), que faz parte da rede de Cooperação Cultural em Ibero-América da Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (AECID) / Embaixada da Espanha, com o apoio do Senac São Paulo e a colaboração dos Designers Gráficos (ADG), lança o concurso

Identidade Visual para o Centro Cultural da Espanha em São Paulo

As inscrições encerram amanhã, dia 10 de Agosto. Para participar, acesse os sites da AECI, Senac, ADG e consulte o regulamento.

O design da reforma

O design da reforma utilizava os princípios da arte decorativa cuja idéia era valorizar o trabalho manual, o contato mais íntimo do objeto com o trabalhador, como faziam os artesãos, com o intuito de levar a qualidade dos objetos produzidos pelas industrias mediante a valorização estética.

Cole e Pugin deixaram bem claro que a grande diferença entre design e decoração era o caráter social do design somado à estética, formando uma unidade indissolúvel. Enquanto a decoração preocupava-se apenas com a estética e produzia exclusivamente para a elite, o design queria atingir uma quantidade maior de pessoas, pois tinha de ser funcional, criando objetos que fossem úteis e belos, tornando difícil pensar no conforto da sociedade e seu bem estar sem as peças de design.

Essas questões sociais levantadas pelo design fizeram as indústrias produzirem peças que atendessem as necessidades da sociedade. Conseqüentemente, as vendas cresceram por que o que passou a ser produzido tinha um apelo maior que os anteriores e provocavam uma identificação da pessoa com o objeto, fazendo com que ela desejasse para si o que estava sendo vendido. Por exemplo: as cadeiras eram bonitas e confortáveis assim como toda o mobiliário e outros artigos.

Na nossa opinião, a reforma foi feita pelos designers e não pelos artistas, por não terem um objetivo tão contextualizado com o progresso industrial como os designers. O que impulsionou a reforma foram as idéias socialistas de igualdade que surgiram naquela época, uma motivação para os ideais de designers como Morris e Pugin, pessoas que preocupavam-se com a estética mas sobretudo com o conforto das pessoas, contra a exploração do trabalhador, visando o zelo pelas condições precárias às quais era submetido para realizar suas funções, manifestando-se contra os princípios capitalistas onde vender e apropriar-se das coisas é muito mais importante que o indivíduo.

Assuntos relacionados: Arts and Crafts | Artes Aplicadas | Ruskin | Morris | Pugin | Henry Cole

Este post é uma reflexão sobre a aula de História do Design ministrada pelo professor Cícero Inácio da Silva, no curso de Design de Mídia Digital da Faculdade Impacta de Tecnologia.

O artista, o designer e a escola de Morris

O artista não teve função direta com a escola de Morris, pois via os produtos industrializados como produtos inferiores, para a massa popular, e tentava manter seu status dentro da elite ao produzir peças exclusivas, subjetivas sem qualquer preocupação social; tinha como objetivo expressar seus ideais sem se preocupar com a opinião de outras pessoas, pois servia para sua própria satisfação, enquanto os designers criavam produtos para a sociedade visando suprir as necessidades estéticas, funcionais e sociais. Esta era a proposta de Morris que retomava os princípios vindos da arte decorativa somados a um caráter social (preocupação com as condições de trabalho dos operários das indústrias) e pretendia transformar a sociedade da época; propondo que o artista se colocasse no papel do artesão, preocupando-se com o aspecto social e não apenas com a questão estética, para que através de suas peças fosse possível reeducar a visão das pessoas, desenvolvendo nelas o senso crítico quanto ao que era produzido na época, trazendo para o potencial mercado consumista objetos de qualidade estética, além de proporcionar aos trabalhadores que faziam as peças, o prazer da execução que todo artista experimentava.

A industrialização acabou com os valores estéticos e sociais, mas não eram muito discutidos, por ser uma grande novidade na época; afinal, tudo o que era industrializado estava acessível, independente da classe social, e isso levava às pessoas ao consumismo.

Não pensamos o design sendo arte naquela época baseados na discussão dos fatos apresentados, que nos fez compreender que o design e a arte eram distintos embora utilizassem-se de elementos visuais comuns: as cores, as formas e proporções. No design, a funcionalidade era determinante. Na arte não havia uma preocupação em vender, atender a um público específico ou de ser compreendida. A arte tinha também um caráter subjetivo que não cabia ao design.

Assuntos relacionados: Arts and Crafts | Artes Aplicadas | Ruskin | Morris | Pugin | Henry Cole

Este post é uma reflexão sobre a aula de História do Design ministrada pelo professor Cícero Inácio da Silva, no curso de Design de Mídia Digital da Faculdade Impacta de Tecnologia.

Rousseau e as Artes

ousseau e as Artes foi o tema da palestra que faz parte do projeto filosófico Pensamentos Instigantes do mês de Agosto, ocasião em que Maria das Graças de Souza, professora de literatura, e o designer multimídia Guto Lacaz estiveram presentes discutindo as idéias e suscitando questões referentes ao pensamento do filósofo e sua relação com as artes como um todo.

Segundo Rousseau, as artes e as ciências não têm capacidade de transformar as pessoas porque provêm dos seus vícios e não das virtudes, inclusive diz que a arte é fruto do ócio. Guto Lacaz posicionou-se contra esta definição, afirmando que a arte é um ofício e, assim sendo, demanda muito esforço e empenho por parte de quem a realiza; embora concorde que os vícios realmente estão intrínsecos neste meio, a vaidade, por exemplo. Ele apresentou alguns dos seus trabalhos e exposições realizadas, falou sobre a sua carreira e dissertou sobre o design, reforçando a idéia de projeto, como já o sabemos.