As melhores Fontes de 2007

And the winner is…

Na verdade “winners are…” pois foram selecionadas 30 fontes.
Usarei o termo fonte porque não encontrei uma tradução para o português de typeface que é o termo que define melhor o design das fontes, de acordo com muitos designers.

Este Oscar das Fontes é uma iniciativa do site Typographica e contou com um jurí de conhecidos designers tipográficos como Ellen Lupton, entre outros, autora do ótimo livro Pensar com Tipos.

A escolha dos eleitos foi bem democrática e teve representantes de vários estilos.

Clique abaixo para conhecer os grandes vencedores.😀

National de Kris Sowersby

Inspirada nas fontes americanas e inglesas de estilo Grotesk (século 19), esta fonte é uma reflexão do presente produzida para a era digital.

Leia o comentário sobre a fonte (em inglês).
Veja imagem ampliada.

Beocarcana de Carl Crossgrove

A fonte não tem serifa e mesmo assim é o oposto do estilo Grotesk, devido as suas proporções humanistas e contrastes ritmados.

Leia o comentário sobre a fonte (em inglês).
Veja imagem ampliada.

Graphik de Christian Schwartz

Inspirada em clássicas fontes sem serifa a Graphik porém tem uma racionalidade agradável, amistosa.

Leia o comentário sobre a fonte (em inglês).
Veja a imagem ampliada.

Burgues Script de Alejandro Paul

Louis Madarasz, um mestre da arte caligráfica foi a inspiração para a criação desta fonte. Diferente de outras, a Burgues Script não perdeu a vivacidade da escrita manual ao ser transposta para o meio digital.

Leia o comentário sobre a fonte (em inglês).
Veja a imagem ampliada.

Giorgio de Christian Schwartz

Extremamente bem desenhada em seus detalhes tem a qualidade de ser contrastante ao mesmo tempo que é graciosa.

Leia o comentário sobre a fonte (em inglês).
Veja a imagem ampliada.


FF Meta Serif
de Spiekermann, Schwartz, e Sowersby

É uma versão com serifa da fonte FF Meta e possui as mesmas características que a primeira: é sólida, clean, moderna e vivaz.

Leia o comentário sobre a fonte (em inglês).
Veja a imagem ampliada.

Greta de Peter Bilak

A maior qualidade desta fonte é sua perfeita legibilidade mesmo em tamanhos pequenos; é neutra e ideal para grandes quantidades de texto, como em jornais.


Leia o comentário sobre a fonte (em inglês).

Veja a imagem ampliada.

Arno Pro de Robert Slimbach

Uma família tipográfica bem elaborada, com grande variedade de pesos, estilos e linguagens.

Leia o comentário sobre a fonte (em inglês).

Veja a imagem ampliada.

Minuscule de Thomas Huot-Marchand

A fonte perfeita para ser usada tamanhos pequenos. Tente qualquer valor baixo de 7 pontos!


Leia o comentário sobre a fonte (em inglês).

Veja a imagem ampliada.

Malaga de Xavier Dupré

Ideal para ser usada em tamanhos grandes, suas linhas ascendentes e descendentes são mais curtas que a maioria das fontes.

Leia o comentário sobre a fonte (em inglês).
Veja a imagem ampliada.

Restraint de Marian Bantjes with Ross Mills

Marian Bantjes é uma ilustradora que criou esta fonte (com a colaboração do tipógrafo Ross Mills) de uma maneira diferente: as letras foram definidas pelo espaço negativo do ornamento. Tipos e ornamentos são ao mesmo tempo distintos e unificados.

Leia o comentário sobre a fonte (em inglês).
Veja a imagem ampliada.

Kinescope de Mark Simonson

Foi inspirada nas letras manuais que apareciam nos títulos do desenho animado dos anos 1940 Superman.


Leia o comentário sobre a fonte
(em inglês).
Veja a imagem ampliada

FF Beowolf e FF BeoSans OT de Just van Rossum e Erik van Blokland


Leia o comentário sobre a fonte (em inglês).

Veja a imagem ampliada.

Blaktur de Ken Barber

Um tipo moderno em estilo medieval representante da tipografia blackletter.


Leia o comentário sobre a fonte (em inglês).

Veja a imagem ampliada.

Feijoa de Kris Sowersby

As linhas da fonte são finalizadas por um contorno suave e cantos arredondados que emprestam uma qualidade orgânica para a Fonte Feijoa.

Leia o comentário sobre a fonte (em inglês).
Veja a imagem ampliada.

Burbank de Tal Leming

A Burbank é um bom exemplo de cuidado e elaboração, mantêm a espontaniedade e humor de letras escritas à mão.

Leia o comentário sobre a fonte (em inglês).
Veja a imagem ampliada.

Gloriola de Tomas Brousil

É uma família de sem serifa que possui estilos que vão da a vivacidade de uma blackletter a delicadeza de uma light.

Leia o comentário sobre a fonte (em inglês).
Veja a imagem ampliada.

BistroScript de Tomas Brousil

Uma eficiente representante do estilo retrô script.

Leia o comentário sobre a fonte (em inglês).
Veja a imagem ampliada.

Taz III de Luc(as) de Groot

Sua forma condensada empresta a essa San Serif uma característica mais reservada, polida.

Leia o comentário sobre a fonte (em inglês).
Veja a imagem ampliada.

Leitura de Dino dos Santos

Uma família tipográfica que fala nosso idioma!
Dino dos Santos é um designer português que criou uma família de fontes de estilos bem diferentes e distintos. É como um kit essencial para qualquer designer.

Leia o comentário sobre a fonte (em inglês).
Veja a imagem ampliada.

Anselm de Frantisek Storm

Letras harmoniosas e uma familia tipográfica de estilos variados.

Leia o comentário sobre a fonte (em inglês).
Veja a imagem ampliada.

MVB Sacre Bleu de Mark van Bronkhorst

De estilo manuscrito e informal é uma fonte elegante.

Leia o comentário sobre a fonte (em inglês).
Veja a imagem ampliada
.

Fab de Patrick Griffin

Fonte tubular de cantos arredondados, lembra as luzes de neon populares nos anos 80.

Leia o comentário sobre a fonte (em inglês).
Veja a imagem ampliada.

Olicana de Nick Cooke

A fonte inspirada na caligrafia manual à tinta, tem personalidade e formas complexas, mesmo assim é extremamente legível. Graciosa e vivaz a fonte é ainda divertida devido ao desenho espontâneo de suas ligaturas.

Leia o comentário sobre a fonte (em inglês).
Veja a imagem ampliada.

Purista de Tomas Brousil

Sofisticada, funcional e tem pesos bem contrastantes.


Leia o comentário sobre a fonte (em inglês)
.
Veja a imagem ampliada.

Urbana de Cesar Puertas

Uma fonte imponente e ao mesmo tempo amistosa.

Leia o comentário sobre a fonte (em inglês).
Veja a imagem ampliada.

Scriptonah and Casual Brush de John Nahmias

Informal, funcional, possui ritmo e delicadeza.


Leia o comentário sobre a fonte (em inglês).

Veja a imagem ampliada.

Los Niches de Juan Pablo de Gregorio

Elegante, moderna, as linhas retas e sinuosas das letras geram um contraste marcante e dá personalidade a fonte.


Leia o comentário sobre a fonte (em inglês)
.
Veja a imagem ampliada.

Lineare Serif de Eduardo Tunni


Uma serifada original, com capitulares interessantes e itálicas elegantes.


Leia o comentário sobre a fonte (em inglês).

Veja a imagem ampliada.

Dancer de Morten Olsen


Leia o comentário sobre a fonte (em inglês)
.
Veja a imagem ampliada.

2 pensamentos sobre “As melhores Fontes de 2007

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s