O design da reforma

O design da reforma utilizava os princípios da arte decorativa cuja idéia era valorizar o trabalho manual, o contato mais íntimo do objeto com o trabalhador, como faziam os artesãos, com o intuito de levar a qualidade dos objetos produzidos pelas industrias mediante a valorização estética.

Cole e Pugin deixaram bem claro que a grande diferença entre design e decoração era o caráter social do design somado à estética, formando uma unidade indissolúvel. Enquanto a decoração preocupava-se apenas com a estética e produzia exclusivamente para a elite, o design queria atingir uma quantidade maior de pessoas, pois tinha de ser funcional, criando objetos que fossem úteis e belos, tornando difícil pensar no conforto da sociedade e seu bem estar sem as peças de design.

Essas questões sociais levantadas pelo design fizeram as indústrias produzirem peças que atendessem as necessidades da sociedade. Conseqüentemente, as vendas cresceram por que o que passou a ser produzido tinha um apelo maior que os anteriores e provocavam uma identificação da pessoa com o objeto, fazendo com que ela desejasse para si o que estava sendo vendido. Por exemplo: as cadeiras eram bonitas e confortáveis assim como toda o mobiliário e outros artigos.

Na nossa opinião, a reforma foi feita pelos designers e não pelos artistas, por não terem um objetivo tão contextualizado com o progresso industrial como os designers. O que impulsionou a reforma foram as idéias socialistas de igualdade que surgiram naquela época, uma motivação para os ideais de designers como Morris e Pugin, pessoas que preocupavam-se com a estética mas sobretudo com o conforto das pessoas, contra a exploração do trabalhador, visando o zelo pelas condições precárias às quais era submetido para realizar suas funções, manifestando-se contra os princípios capitalistas onde vender e apropriar-se das coisas é muito mais importante que o indivíduo.

Assuntos relacionados: Arts and Crafts | Artes Aplicadas | Ruskin | Morris | Pugin | Henry Cole

Este post é uma reflexão sobre a aula de História do Design ministrada pelo professor Cícero Inácio da Silva, no curso de Design de Mídia Digital da Faculdade Impacta de Tecnologia.

2 pensamentos sobre “O design da reforma

  1. (1) Relacione a Arte Decorativa e o Design da Reforma. (2) Qual a diferença entre Decoração e Design para os autores citados. (3) Como podemos analisar o impacto do Design na produção industrial da época? (4) Na sua opinião, quais foram os fatores que levaram alguns artistas a criarem o que se intitulou Reforma do século XVIII e primórdio do XIX?

  2. A última questão gerou uma interessante discussão (“Na sua opinião, quais foram os fatores que levaram alguns artistas a criarem o que se intitulou Reforma…”), a respeito dos papeis distintos, do artista e designer. Mas o texto da aula 05 (design, sociedade e padrões) no seguinte parágrafo: “A reforma foi considerada um avanço para a época, pois a Arte Decorativa ainda estava bem estabelecida e era apoiada em sua maioria pelos artistas que negavam o papel do designer“, não deixa dúvidas a respeito de que os dois realmente tinham papéis diferentes naquela situação. Por isso nossa divergência em relação a pergunta.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s