O artista, o designer e a escola de Morris

O artista não teve função direta com a escola de Morris, pois via os produtos industrializados como produtos inferiores, para a massa popular, e tentava manter seu status dentro da elite ao produzir peças exclusivas, subjetivas sem qualquer preocupação social; tinha como objetivo expressar seus ideais sem se preocupar com a opinião de outras pessoas, pois servia para sua própria satisfação, enquanto os designers criavam produtos para a sociedade visando suprir as necessidades estéticas, funcionais e sociais. Esta era a proposta de Morris que retomava os princípios vindos da arte decorativa somados a um caráter social (preocupação com as condições de trabalho dos operários das indústrias) e pretendia transformar a sociedade da época; propondo que o artista se colocasse no papel do artesão, preocupando-se com o aspecto social e não apenas com a questão estética, para que através de suas peças fosse possível reeducar a visão das pessoas, desenvolvendo nelas o senso crítico quanto ao que era produzido na época, trazendo para o potencial mercado consumista objetos de qualidade estética, além de proporcionar aos trabalhadores que faziam as peças, o prazer da execução que todo artista experimentava.

A industrialização acabou com os valores estéticos e sociais, mas não eram muito discutidos, por ser uma grande novidade na época; afinal, tudo o que era industrializado estava acessível, independente da classe social, e isso levava às pessoas ao consumismo.

Não pensamos o design sendo arte naquela época baseados na discussão dos fatos apresentados, que nos fez compreender que o design e a arte eram distintos embora utilizassem-se de elementos visuais comuns: as cores, as formas e proporções. No design, a funcionalidade era determinante. Na arte não havia uma preocupação em vender, atender a um público específico ou de ser compreendida. A arte tinha também um caráter subjetivo que não cabia ao design.

Assuntos relacionados: Arts and Crafts | Artes Aplicadas | Ruskin | Morris | Pugin | Henry Cole

Este post é uma reflexão sobre a aula de História do Design ministrada pelo professor Cícero Inácio da Silva, no curso de Design de Mídia Digital da Faculdade Impacta de Tecnologia.

Um pensamento sobre “O artista, o designer e a escola de Morris

  1. Questões:

    (1) Qual o papel do artista em relação ao Design proposto pela escola de Morris, levando em consideração as duas escolas apresentadas na aula de hoje. (2) Como você pensa o Design sendo arte naquela época?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s